Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dia de São Valentim

por Telha a telha..., em 14.02.14
História de São Valentim
 
  • Havia um imperador chamado Cláudio que pretendia reunir um grande exército para expandir o império romano. Para isso era necessário que os homens se alistassem como voluntários. Mas deixar esposa e filhos para trás não era nada agradável... Além disso, se eles morressem em combate, quem sustentaria a família? Não! Eles não se alistariam!
  • Cláudio ficou muito zangado e considerou isto uma traição. Então teve uma ideia: se os homens não fossem casados, nada os impediria de ir para a guerra. Assim, decidiu que não seriam consentidos mais casamentos. Tal lei foi considerada injusta e cruel para os jovens!
  • Um sacerdote chamado Valentim, que discordava completamente com a lei de Cláudio, decidiu realizar casamentos às escondidas.

  • A cerimónia era um ato perigoso pois contrariava a lei! Os noivos casavam -se numa sala mal iluminada, tinham que ficar à escuta para tentar perceber se haveria soldados por perto.

  • Uma noite, durante um desses casamentos secretos, ouviram-se passos. O par que no momento estava a casar conseguiu escapar, mas o sacerdote Valentim foi capturado. Foi para a prisão à espera que chegasse o dia da sua execução.

  • Durante o seu cativeiro, jovens passavam pelas janelas da sua prisão e atiravam flores e mensagens onde diziam acreditar também no poder do amor.

  • Entre os jovens que o admiravam, encontrava-se a filha do seu carcereiro. O pai dela consentiu que ela o visitasse na sua cela e aí ficavam horas e horas a conversar.

  • No dia da sua execução, Valentim deixou uma mensagem à sua amiga (por quem dizem que se apaixonou), agradecendo a sua amizade e lealdade.

  • Ao que parece, essa mensagem foi o início do costume de trocar mensagens de amor no dia de S. Valentim, celebrado no dia da sua morte, a 14 de Fevereiro do ano de 269.

 

Trabalho de pesquisa (3.º e 4.º anos)

 

 

"O lenço dos namorados era um lenço fabricado a partir de um pano de linho fino ou de lenço de algodão, bordado com motivos variados. Tratava-se de uma peça de artesanato e vestuário típico do Minho, sendo usado por mulheres com idade de casar

Era hábito a rapariga apaixonada bordar o seu lenço e entregá-lo ao seu amado quando este se fosse ausentar. Nos lenços poderiam ter bordados versos, para além de vários desenhos, alguns padronizados, tendo simbologias próprias.

Era usado como ritual de conquista. Depois de confeccionado, o lenço acabaria por chegar à posse do homem amado, que o passaria a usar em público como modo de mostrar que tinha dado início a uma relação. Se o namorado não usasse o lenço publicamente era sinal que tinha decidido não dar início a ligação amorosa."

Depois desta pesquisa resolvemos fazer uns lenços destes... Bem, não andámos a bordar mas sim a desenhar!

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:03




Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D